Os riscos de uma gravidez após os 40 anos de idade

gravidez após os 40 anos

Você tem mais de 40 anos, é perfeitamente saudável e está planejando engravidar? Conheça as vantagens e desvantagens de uma gravidez após os 40 anos. Parabéns, ser mãe é uma dádiva em qualquer idade – mas nessa você vai precisar de cuidados redobrados. De acordo com os especialistas, qualquer gravidez após os 40 anos é considerada de alto risco, por isso, ter um plano de saúde é fundamental. Assim, você garante não apenas o acesso aos melhores médicos e hospitais, como tem garantida a cobertura para todos os exames do pré-natal e ainda fica preparada caso surja algum imprevisto. Veja porque o plano de saúde é tão importante nessas circunstâncias.

Gravidez após dos 40 anos: conheça os riscos

Com a vida moderna é cada vez mais comum as mulheres terem filhos mais tarde, depois de já estabilizadas profissionalmente e de terem aproveitado um bocado a juventude. O problema é que, por melhor que tenha sido tratado, o corpo não acompanha a mente, e acaba envelhecendo bem antes dela.

Por conta disso, a gravidez após os 40 anos é considerada de risco, já que aumentam as probabilidade de aborto, parto prematuro, gravidez ectópica (quando o óvulo fecundado se implanta equivocadamente em outras estruturas que não são o útero), perda de sangue, hipertensão, descolamento prematuro da placenta, Síndrome Hellp (hemólise/fragmentação das células do sangue, elevação das enzimas hepáticas e baixa contagem de plaquetas), rompimento do útero e trabalho de parto por tempo prolongado.

Mais atenção ao pré-natal 

O pré-natal é importantíssimo durante a gravidez após os 40 anos,  ele toma uma importância ainda maior, mudando um pouco as suas características: o intervalo entre as consultas é menor e também são pedidos exames mais específicos, como teste de glicose, HIV 1 e 2, exames de sangue para identificar toxoplasmose ou citomegalovírus e ultrassonografias mais frequentes.

Por outro lado, o bebê também merece atenção redobrada, e provavelmente o médico pedirá também exames como coleta de vilosidades coriônicas, amniocentese, cordocentese, translucência nucal, ultrassonografia que mede o comprimento da nuca do bebê e o Perfil Bioquímico Materno para saber se há a possibilidade do bebê ter Síndrome de Down.

O avanço da idade materna na gestação (a partir de 35 anos) aumenta a probabilidade de haver alterações cromossômicas, já que as células mais velhas têm mais riscos de apresentar erros durante o processo de divisão, podendo causar a presença de um cromossoma a mais ou a menos. Todos estes exames são cobertos pelos planos de saúde, o que significa uma grande economia para a futura mamãe.

E o parto, como fica numa gravidez após os 40 anos? 

A princípio não há contraindicação para o parto normal, a menos que a gestante apresente ao problema que o desqualifique, o que deve ficar a critério médico. No entanto, caso ela já tenha feito uma cesariana, pode ser que o obstetra indique a necessidade de uma nova cesariana porque a cicatriz da anterior pode prejudicar o trabalho de parto e ainda aumentar o risco de rompimento uterino.

Se o plano de saúde da futura mamãe de gravidez após os 40 anos for com obstetrícia e todo os prazos de carência já tiverem sido cumpridos, o parto pode ser feito totalmente dentro da cobertura do plano e o bebê também já nasce com a sua cobertura total garantida por 30 dias – depois disso há a necessidade de fazer a inclusão formal do neném no plano, caso contrário ele perderá o direito.

Atenção aos prazos de carência dos planos 

No entanto, se o plano for novo a grávida só terá direito aos procedimentos cuja carência já tiver sido cumprida. No caso do parto, por exemplo, a carência é de 300 dias, mas os exames mais complicados têm carência de 180 dias. Por isso a recomendação é que todas as mulheres em idade fértil, independente de terem mais ou menos de 40, devem fazer o plano de saúde com obstetrícia, mesmo que não pretendam engravidar tão cedo. Dessa forma, se houver uma gravidez inesperada todas as carências já terão sido cumpridas e você terá direito à cobertura integral contratada.

Se você ainda não tem um plano de saúde ou o seu não cobre obstetrícia, converse com um dos nossos vendedores especializados e veja a possibilidade de fazer a contratação. A sua saúde e a do seu bebê merecem esse carinho.

Preencha o formulário abaixo e receba uma simulação!

Veja também

Comentarios