Um plano Odontológico Vale a Pena

Um plano Odontológico Vale a Pena, é  a melhor estratégia para quem quer manter a saúde bucal em dia ou resolver antigos problemas. Os planos odontológicos já conquistaram os brasileiros: hoje já são mais de 22,2 milhões de beneficiários de acordo com os dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IEES), um aumento de 8% só no primeiro semestre de 2016 em relação ao mesmo período de 2015. Veja como fazer a conta.

Contas rápidas, benefício certo: ponto para os planos odontológicos 

A verdade é que não é preciso fazer contas muito complicadas para perceber a vantagem dos planos odontológicos. A maioria deles sai por menos de R$ 50 por mês para pessoa física, valor que fica muito aquém de qualquer tratamento dentário, já que uma simples obturação não sai por menos de R$ 100 por dente. A diferença fica ainda maior nos planos para empresas (qualquer pessoa com CNPJ), onde o valor pode cair para menos da metade e ainda ter carências zeradas se o plano coletivo englobar até 99 vidas.

Quanto maior o volume envolvido, maior a vantagem da negociação, e como a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) não regula o valor dos planos coletivos, quanto maior a empresa mais modesto o valor, que chega a parecer simbólico. O tícket tão baixo é um dos principais motivos do sucesso dos planos, principalmente  frente aos valores e procedimentos mais trabalhosos, como um tratamento de canal, por exemplo, que não costuma sair por menos de R$ 1 mil, e a qualidade do serviço prestado.

Cobertura, no entanto, é limitada 

Como nada é perfeito, a cobertura, no entanto, tem lá suas limitações – e na maioria das vezes a cobertura engloba apenas o rol de procedimentos básicos determinado pela ANS: restauração de cáries, consultas, tratamento de canal, limpeza, radiologia, tratamento de gengivas, emergências e prevenção – o que, para a maioria da população, já é bastante suficiente e lucrativo frente ao preço. De uma forma geral, todos os tratamentos estéticos ficam de fora, como aparelhos ortodônticos, próteses, implantes e clareamentos.

Uma boa dica, no entanto, é fazer uma comparação entre operadoras na hora da contatação, porque o rol de procedimentos básicos é o mínimo que todas elas devem oferecer, mas muitas não se limitam a eles e aumentam a oferta de serviços para aumentar também a competitividade no mercado. Além disso, muitas vezes elas oferecem a possibilidade de incluir alguns serviços mediante o pagamento de taxas avulsas, por isso o ideal é conversar com um vendedor especializado e checar todas as possibilidades fazendo várias cotações diferentes.

Mas por que a diferença de preços é tão grande em relação aos planos de saúde? 

Essa é a pergunta que muita gente se faz, porque o plano odontológico é tão mais barato em relação ao plano de saúde. Na verdade, isso é bem simples de compreender –  e não tem nada a ver com a qualidade do serviço. Um dos principais fatores é que, ao contrário do outro, o odontológico não é vendido por faixa etária. Como a prevenção odontológica é considerada eficiente, o uso do plano não tem o pressuposto de ser maior com o passar dos anos, ao contrário do que ocorre com o plano de saúde. Pelo contrário, a tendência é que, cuidando melhor dos dentes, o beneficiário use cada vez menos o plano odontológico.

Por outro lado, quanto maior a quantidade de vidas, mais em conta ele fica – e cada vez mais ele está sendo oferecido por grandes e pequenas empresas como contrapartidas aos funcionários como parte importante do leque de benefícios, agindo como um dos fatores de retenção de talentos.

E então, pronto para escolher seu plano odontológico? Converse agora mesmo com um dos nossos corretores e descubra todas as facilidades para a manter a sua saúde bucal sempre em dia!

Preencha o formulário abaixo e receba uma simulação!

Veja também

Comentarios